sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Pingo


Este é o Pingo

Pingo é o meu cachorro, melhor dizendo, o nosso cachorro pois todos aqui em casa o tratam como pessoa da familia.
Está com oito anos e pesa 22 quilos. É um cachorro de porte médio muito amigo e companheiro.É um SRD de pelo negro .Foi achado na rua e ganhou um lar quando ainda era filhotinho, uma bola de pelo que cresceu alêm das nossas expectativas.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Como é grande...


Este video é dedicado a todos que de uma maneira ou outra dedicam sua afeição a estes seres que fazem parte de nossas vidas  , que nada pedem a não ser um pouco de carinho e atenção e que seriam capazes de dar a vida pelo seu dono

Maggie



Maggie é uma cadela da raça Maltez, tem nove meses e pesa três quilos



O casal Carlos e Belisa são os donos da Maggie. Contam que ela é muito agitada mas também muito carinhosa. Adora receber visitas


Citação
Só de pensar que meu cão me quer mais do que eu a ele, sinto vergonha.” (Conrad Lorenz)



Cherie


Cherri é uma cadelinha beagle de seis anos  e seis quilos de peso. Seu dono e o Artur que constantemente a traz para passear na praça





Este é o Artur.Na sua entrevista ao editor do blog relatou que a Cherri e muito carinhosa e amiga.Gosta de correr a brincar

                                                  CITAÇÃO
Um cão é a única coisa na terra que te amará mais do que tu te amas a ti mesmo” (Josh Billings )

Fabiana



Você já pensou em ter oito cachorros em sua casa para você cuidar? A Fabiana não pensou não. Ela
tem.
Foi difícil reunir toda a matilha em uma foto só
.Imagine o trabalho que deu.
Nessa cachorrada toda eu não sei quem é quem . Vou nominá-los , depois vocês descubram.




Eis pela ordem
Baya, é uma York Shire de oito anos e meio e quatro quilos.
Bebe é uma cruza de York shire com Lhasa, tem um ano e meio.
Bel: É uma shitzu com seis anos, e dois quilos e meio.
Brika: É  tambem York shire de três anos e três quilos.
Cristal: York shire de 5 quilos
Chica:é uma SRD  de mais ou menos quatro anos e pesa oito quilos.
Carol.Também é uma York Shire de três anos, e por último.
Dudinha. Uma York shire de quatro anos e três quilos e meio sendo o mais novo xodó da Fabiana





Citação

No coração de cada animal abandonado
mora o desejo único de ser amado
.
                     
)


segunda-feira, 24 de outubro de 2011

sol


Sol é uma Poodle de cor branca,oito meses e quatro quilos
Sua dona é a Giulia, uma linda senhorita de sete anos.
Ela nos deu a ficha da sol.Nos contou ,por incrivel que pareça, a sol é vegeterina e gosta de morder e uma de suas diversões é caçar passarinhos
.






Sol não deixou por menos. Já que ia participar do blog, resolveu trazer toda a familia



                                                 Citação
“Amor é quando seu cão lhe lambe a cara, ainda que você o deixe só o dia inteiro” (Anete: 4anos)


terça-feira, 18 de outubro de 2011

O que pensa o seu cão.


Você já pensou em se colocar no lugar de seu cão e ver a vida como ele vê? Ver tudo que acontece sob a perspectiva dele?. Se nunca pensou nisso assista este vídeo.



video


CITAÇÃO 

“Quando você abandona um cão porque não lhe serve mais, seus filhos aprendem a lição. Talvez façam o mesmo quando você ficar velho. Pense nisso”

domingo, 16 de outubro de 2011

Domingo na Praça

Domingo, Dia de sol em plena primavera, a galera vai chegando e daqui a pouco está formada uma reunião de amigos que só foi possível por que todos adoram seus amigos,muito mais que amigos: seus cães.
O papo corre solto. Alguém novo aparece e graças á magia do amor pelos animais,rapidamente se integra ao grupo e novas amizades vão se formando . Daqui a pouco começa a debandada. Aproxima-se a hora do almoço.feitas as despedidas. Até o próximo domingo de sol.













domingo, 2 de outubro de 2011

Mel


Nossa amiga Telma é a dona da Mel
Mel e uma Basset Hound de oito anos e pesa trinta e dois quilos.
Sua cor é tricolor( preto marron e branco) Suas orelhas são tão compridas que se arrastam pelo chão.
Tem um temperamento de mandona mas é muito carinhosa e gosta de gente, é uma relações publicas nata.







segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Lorena Aline e Tofu






                                                    A felicidade que todo cão deveria ter


                                         Citação

                Quem não tem, não sabe o que está perdendo “(Jesse Benk)

domingo, 11 de setembro de 2011

Ciça e Godofredo


Será que a Ana Paula sabe que seus bichinhos vieram visitar o nosso blog???


             Ciça e Godofredo numa pose especial para o editor do blog



                                                    CITAÇÃO

Um cão é a única coisa na terra que te amará mais do que tu te amas a ti mesmo” (Josh Billings )

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Seu cãozinho já não é o mesmo ?


Principais alterações do envelhecimento em cães e gatos
Saiba o que acontece com seu pet quando ele começa a envelhecer

A vida média de um cão ou gato é de 12 a 14 anos e a idade senil (velhice) começa aproximadamente
aos sete anos. Os anos passam mais rápido para os animais, pelo fato de possuírem um metabolismo

mais acentuado se comparado ao nosso. Mas muitos animais vivem mais que a média, chegando até aos

20 anos devido aos avanços da medicina veterinária entre outros fatores, como predisposição genética,
tipo de ambiente em que vivem, alimentação adequada e qualificada e cuidados que receberão
na idade senil.
Cães e gatos, assim como nós, necessitam de cuidados especiais em seu processo de envelhecimento.
Sendo assim, há algumas condições necessárias que devem ser oferecidas pelos proprietários,

como visitas periódicas ao médico veterinário. Por meio de exames específicos, o profissional poderá prevenir ou diagnosticar doenças a tempo de o animal receber tratamento adequado

Nesta faixa etária do animal, algumas enfermidades são mais predisponentes e vale a pena ressaltá-las
para o conhecimento prévio do proprietário e para que ele possa fornecer qualidade de vida ao .
seu companheiro.

Doenças Cardíacas: muitos cães idosos apresentam alterações cardíacas, principalmente em válvulas.

Em alguns animais pode haver uma compensação desta disfunção, entretanto, outros apresentam sinais

de cardiopatia clássicos como tosses, ofegação, cansaço além do normal, língua roxa (sinal clínico denominado cianose) após excitação e desmaios. Mesmo não apresentando estes sinais, o animal idoso

deve ser examinado anualmente para prevenção de qualquer cardiopatia. Algumas raças, como poodle
boxer, apresentam mais predisposição a doenças cardiovasculares que outras.
e


Doenças articulares: enfermidades dos tecidos ósseos são muito comuns nessa fase da vida,

principalmente em animais acima do peso. A doença articular mais comum é a artrose (desgaste da articulação). Já na coluna, os problemas mais comuns são as hérnias de disco (vulgarmente conhecidos como “bico de papagaio”) e as calcificações intervertebrais. Os sinais clínicos mais comuns dessas
doenças são: manqueira, dificuldade de subir escadas/pular, descoordenação motora dos membros
levantar com dificuldade e mudança nos locais de defecar ou urinar. Como protocolo, alguns
veterinários como processo preventivo indicam aos


animais condroprotetores que tem a função de
fornecer ao sistema condroitína e glucosamina que são essenciais na constituição e a manutenção

destes tecidos de maneira adequada e saudável.
Tumores: fêmeas que não foram castradas apresentam a tendência de desenvolver tumores mamários,


ou mesmo tumores de ovário. Já em machos, o aparecimento de tumores de próstata é mais frequente. Entretanto, todo nódulo que aparecer no animal deve ser analisado frisando que um diagnóstico

precoce pode promover um tratamento
,


mais eficaz contra esta enfermidade.

Infecção Uterina: enfermidade muito frequente em fêmeas inteiras. O útero do animal fica

repleto de secreção purulenta e ele pode vir a se intoxicar pela absorção dessa secreção.

Os principais sinais clínicos de uma fêmea com piometra são apatia, vômitos, aumento de volume abdominal e corrimento vaginal. Deve ser encaminhado ao veterinário imediatamente, pois neste

caso o tratamento deve ser cirúrgico, com a retirada do útero
Doença Periodontal: enfermidade provocada pela placa bacteriana que fica localizada sobre

os dentes do animal, levando a perda dos mesmos
e doenças sistêmicas devido à migração
dessas bactérias. A prevenção consiste na remoção dessa placa periodicamente e o hábito do proprietário em escovar os dentes do animal, utilizando cremes dentais específicos ou mesmo soluções de limpeza que são diluídas na água e que ajudam no combate a esta doença. Sinais clínicos mais comuns são mau hálito, dificuldade de mastigação e salivação.


Diabetes: dentre as enfermidades da velhice dos animais, a diabetes é a menos comum. Entretanto, animais idosos podem se tornar diabéticos. Os sinais são ingestão acentuada de água, urina em excesso
.e pode estar associado ou não a catarata. A partir do momento que o animal desenvolve estes sinais, o interessante é levá-lo ao veterinário. Exames periódicos (dosagens de glicemia) fornecem um diagnóstico precoce e maior sucesso no tratamento.


                                                     CITAÇÃO

Um cão é a única coisa na terra que te amará mais do que tu te amas a ti mesmo” (Josh Billings )












terça-feira, 26 de julho de 2011

Que tal estar Informado ?

Com os pets na estrada
Você quer viajar com seu bicho de estimação? Conheça a documentação exigida, os hotéis brasileiros que já têm portas abertas para os animais e até as agências que organizam passeios específicos para eles.


Quem tem bichos de estimação com certeza já passou ou vai passar pela situação de querer (ou precisar) viajar e não saber o que fazer com eles. Para os que optam por levá-los como companhia, uma boa notícia: aos poucos, está aumentando a quantidade e a qualidade de serviços voltados para uma população de 34,3 milhões de cães e 18,3 milhões de gatos, segundo dados de 2010 da Associação Nacional dos Fabricantes de Produtos para Animais de Estimação (Anfalpet).

Hoje, os donos de pets podem encontrar companhias aéreas que ofereçam permissão para viajar na cabine (regalia reservada aos bichos com até 5kg). Dispõem ainda de hotéis que, cada vez mais, aceitam os bichos. A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih) calcula um crescimento entre 1% e 2% por ano, mas, como esses estabelecimentos ainda não estão presentes em todas as partes do Brasil, é sempre bom pesquisar antes de pegar a estrada. Finalmente, surgiram também agências especializadas na preparação dos documentos necessários e na criação de passeios específicos para os pets. Já pensou em fazer rafting com seu cão, por exemplo? Pois isso já é possível.

Mesmo com as novas facilidades, a decisão de viajar com um bicho ainda pode ser difícil se você não sabe o que levar na bagagem nem como preparar o animal para o tour. Para tirar dúvidas, diminuir o estresse e aumentar as chances de o passeio ser divertido, vire a página e descubra um guia que pode ser usado não só nas férias, mas também durante o ano inteiro.



Em dia com as exigências
Assim como os seres humanos, os animais precisam de vacinas e de documentos para fazer viagens nacionais e internacionais. Como a preparação pode levar meses, é bom se antecipar

Antes de partir rumo à diversão com o xodó da família, é importante organizar os documentos essenciais para viagens com animais e atualizar o cartão de vacinação. No site do Ministério da Agricultura, o turista pode tirar dúvidas sobre a papelada necessária para viagens nacionais e internacionais com os bichos de estimação, em www.agricultura.gov.br/animal/animais-de-companhia.

A preparação deve ser feita com o máximo de antecedência, para que, em primeiro lugar, ocorra a imunização proporcionada pela vacina contra a raiva no organismo do animal. Ela é a única obrigatória para qualquer viagem dentro ou fora do país. E, se o passeio for em terras estrangeiras, o dono deve também procurar o consulado ou a embaixada do destino da viagem o quanto antes para saber se há outras exigências específicas daquele país.

O cão ou o gato precisarão do Certificado Zoosanitário Internacional (CZI). Ele é expedido de graça nos 106 postos do Serviço de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) — presentes nos aeroportos — ou nas Superintendências Federais de Agricultura de cada estado. Os endereços podem ser consultados no site do ministério.

Para emitir o CZI, o dono do animal vai precisar de um atestado de saúde assinado por um veterinário (veja quadro com os dados necessários), da carteira de vacinação em dia e de outros documentos que possam ser exigidos pela representação diplomática do país a ser visitado. A validade do certificado varia entre cinco e 10 dias.

O ministério dispõe de 18 modelos de CZIs dos seguintes países: África do Sul, Argentina, Austrália, Canadá, Chile, Colômbia, Estados Unidos, Hong Kong, Índia, Japão, México, Noruega, Nova Zelândia, Omã, Paraguai, Suíça, Taiwan, Uruguai e Venezuela, além de todos os países da União Europeia.

Se o destino da viagem não for nenhum desses, o turista deverá pedir ao serviço veterinário do país de destino um documento oficial com as exigências sanitárias. E, em seguida, apresentá-lo aos postos do serviço da Vigiagro para que seja produzido um CZI específico.

Atenção
A primeira dose da vacina antirrábica precisa de 30 dias para fazer efeito. Portanto, se o seu animal for tomar pela primeira vez para viajar, prepare-se com um mês de antecedência.

Anote
A Superintendência do Distrito Federal fica no Setor Bancário Norte, quadra 1, bloco D, Ed. Palácio do Desenvolvimento, 5º andar. Telefone: 3329-7101 e 3329-7100. E-mail: gab-df@agricultura.gov.br.


TRATAMENTO DISTINTO Coelhos, chinchilas, hamsters, iguanas, peixes ornamentais e alguns tipos de aves (periquito, calopsita, canário belga, pombo etc.) também são considerados animais domésticos, mas recebem tratamento diferente do oferecido a cães e gatos na hora de viajar. A analista do Núcleo de Epidemiologia e Trânsito da Secretaria de Agricultura do DF, Mariana Cesar, explica a documentação exigida para eles: “Esses bichinhos precisam da Guia de Trânsito Animal (GTA). Ela é emitida nas unidades da Secretaria de Agricultura com a apresentação do atestado de saúde assinado por um veterinário.” Para obter a GTA, procure a instituição em um dos seguintes endereços: SAIN Parque Rural, ao lado da Secretaria de Saúde e da Emater (3340-3862); SNO Quadra 1, Setor Norte do Gama, Lote 14/24 (3484-3484); Quadra 24, casa 3, Setor Tradicional, Brazlândia (3479-1870); Quadra 8, Área Especial nº 3, Sobradinho (3487-1438); Setor Comercial Central, Quadra 2, Bloco B, Planaltina (3389-3738).


Conforto para bichos e donos
No Brasil, o número de hotéis que aceitam animais de estimação vem crescendo entre 1% e 2% por ano, segundo a associação responsável pelo setor. Esses locais nem sempre são fáceis de encontrar


Arquivo Pessoal

Christyan viveu nos EUA e ia para todo canto com Chiquita: no Brasil, ele precisou cancelar uma viagem por não encontrar hotel que aceitasse o cão

Quem planeja viajar pelo Brasil com um bicho e não conta com parentes ou amigos na cidade de destino costuma ter trabalho em dobro para conseguir um lugar para ficar. Não basta que a hospedagem seja confortável e de bom preço: também precisa aceitar a presença dos pets. E, aos poucos, os hotéis com esse perfil se tornam mais comuns no país. O número cresce entre 1% e 2% por ano, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH) — que, no entanto, ainda não calculou uma média nacional.

Os hotéis, as pousadas e os spas que estão de olho nessa clientela de luxo oferecem serviços especiais para os bichinhos. Espalhados pelas regiões Sul e Sudeste, costumam dispor de babá, kits (ração, comedouro, bebedouro e brinquedos), caminhas com travesseiro, canis com piscina e monitoramento por câmera, atendimento veterinário, além de banho e tosa. Mordomias que a branquinha (e sem raça definida) Nikole, gata-propaganda de laboratórios e de produtos específicos para felinos, conhece bem.

Estrutura Com vida agitada e cheia de mordomias, Nikole viaja com três malas cor de rosa, vai na poltrona do avião — acompanhada da dona, claro — e fica hospedada em hotéis com direito a uma cama só para ela. “Somos muito bem acolhidas nos hotéis. Fico na cama de casal e, ela, na de solteiro”, conta a dona, Cecy Passos, 41 anos, consultora em produtos para gatos. Ela não deixa faltar nada para Nikole. “Levo nas malas produtos de estética e alimentação. Tem pente, roupas, vitamina para o pelo, protetor de unha...”, enumera. “Quando um hotel não recebe, para mim é uma ofensa. O lugar precisa ter estrutura para pets. É questão de mudança de conceito”, defende.

A presença ainda tímida dessa estrutura foi um dos aspectos que Christyan Silva, 31 anos, mais estranhou quando saiu dos Estados Unidos e voltou ao Brasil. Dono da labrador Chiquita, ele marcou um passeio a Natal (RN) para maio deste ano. Precisou cancelar o pacote da agência de viagens porque não encontrou, por lá, nenhum hotel que aceitasse cachorros. “Não tinha onde deixá-la. Resolvi ir para a casa da minha família, em Caldas Novas (GO)”, lamentou. “Nos Estados Unidos, o cachorro é muito respeitado. Poderia viajar para onde fosse e encontraria algum hotel que aceitasse o animal. Aqui, o tratamento ainda é diferente.”
Lionel Falcon/Divulgação

Cecy e a gata-propaganda Nikole: cama de solteiro só para a felina




"O cachorro nos diferencia dos outros turistas"



Carolina Pinheiro/Divulgação

Frida já visitou castelos, igrejas e até caves com os donos

“Quando eu e meu marido decidimos ter um cãozinho, sabíamos que ele teria que se adaptar a uma vida de viagens. Isso contou na escolha da raça — um minischnauzer — e na educação do cachorro. Quando Frida era filhote, nos preocupamos em mostrar a ela diferentes ambientes e situações. Assim, desde pequena se acostumou a viajar e se tornou uma grande companheira. Basta começar a fazer as malas para uma viagem qualquer que Frida fica empolgadíssima e é sempre a primeira a entrar no carro.

Na França, onde os cachorros são muito bem aceitos, estivemos com ela em castelos, caves de champanhe, igrejas medievais, hotéis-boutique e mesmo no Carrousel du Louvre, a parte do museu onde há lojas e cafés. Alguns ambientes costumam pedir que ela seja carregada, mas, em geral, não fazem objeção. Às vezes, um de nós se dispõe a ficar do lado de fora com a Frida, mas somos incentivados pelos próprios responsáveis a entrar com ela.

Os hotéis franceses costumam aceitar cachorros com facilidade, sobretudo os de pequeno porte, cobrando apenas um adicional. Para evitar problemas, também fazemos a nossa parte, mantendo sempre a vacinação e a vermifugação da Frida em dia e providenciando um bom banho antes das viagens. Também levamos comida suficiente, uma garrafinha com água para o dia e muitos brinquedos e ossinhos para entretê-la quando ela estiver só.

Evitamos o transporte aéreo sempre que possível, porque não podemos levá-la conosco durante o voo. Nos trens, dá para levar animais, mas a diferença de preço é alta. Por isso, costumamos preferir o carro. Frida sempre se comportou bem e, para nós, é uma maneira de nos diferenciarmos de outros turistas. Sentimos que somos mais bem tratados com ela do que sem. Ela também tem uma documentação específica da União Europeia e, assim, nunca tivemos problema para viajar com um cachorro não só pela França, mas também pelos países vizinhos.”

Carolina Pinheiro, 32 anos, é estudante e dona da minischnauzer Frida, 7. Vive na França desde 2008. A cadela já viajou pelos seguintes países: Brasil, Chile, França, Bélgica, Holanda, Luxemburgo e Mônaco.




Sem limites para explorar
Agências especializadas em bichos montam passeios e ainda ajudam o dono com a parte burocrática da viagem


Turismo 4 Patas/Divulgação

Os cães também podem fazer rafting: acompanhamento de dois adestradores

Entre as novidades que surgem constantemente no mercado de produtos e serviços para pets, estão as agências que fazem consultoria para viagens e organizam passeios específicos para bichos e seus donos. Duas delas estão em São Paulo: as agências Turismo 4 Patas e Doc-Dog. “Cuidamos da documentação, do atendimento veterinário, oferecemos informações sobre cuidados antes, durante e depois da viagem, fazemos reserva na companhia aérea, embarque desacompanhado, liberação alfandegária...”, enumera Luis Fernando Oliveira, proprietário da Doc-Dog.

A empresa funciona na capital paulista, mas atende em qualquer parte do país. “Temos convênios com clínicas veterinárias em todas as capitais. Elas fazem os exames com o animal e mandam para São Paulo. Daqui, nós organizamos a papelada.”

Por sua vez, a Turismo 4 Patas, também da capital paulista, oferece pacotes de passeios em São Paulo e Minas Gerais para grupos de até 25 cães acompanhados dos donos. As atividades duram de um a dois dias e incluem roteiros na praia, urbanos, de ecoturismo e esportes de aventura, com supervisão de dois adestradores.

“Seleciono alguns destinos e visito o local com a minha cadela. Adapto as atividades com a equipe da agência e aprovamos o roteiro”, afirma a proprietária Larissa Rios. “Já fizemos trilhas, rafting, passeio de barco na praia, city tour em São Paulo”, explica. Para ela, o crescimento do mercado deve-se à busca dos donos por compartilhar experiências com os cães. “Para muitos de nossos clientes, o critério de escolha da viagem é que o animal vá junto. Há quatro anos, fazíamos um passeio a cada dois meses. Agora, são dois por mês, todos lotados”, comenta.

                                                                      CITAÇÃO

Quando você abandona um cão porque não lhe serve mais, seus filhos aprendem a lição. Talvez façam o mesmo quando você ficar velho. Pense nisso”


sábado, 2 de julho de 2011

Tuda



Fabio apareceu na praça  com a Tuda e logo concordou em posar para o blog
.
Tuda é uma graciosa cadela SRD. Tem seis meses e onze quilos e pelagem amarela. É muito ativa, gosta de brincar e é muito carinhosa.


                                           CITAÇÃO
Será nosso amigo para sempre,... sempre,... sempre”(Rudyard  Kipling)


domingo, 19 de junho de 2011

Anjos de quatro patas (reprise)

Alo amigos
Vocês ainda lembram daquela postagem que fiz há algum tempo ? ,O texto reportava-se aos Anjos de Quatro Patas. Pois bem, recebi por e-mail a mesma mensagem , só que desta vez com lindas imagens em um PPS.Foi dificil,apanhei muito mas consegui converte-lo de pps em um formato aceito para ser postado em uma postagem digna e gratificante para o nosso blog. 
video


CITAÇÃO
Só de pensar que meu cão me quer mais do que eu a ele, sinto vergonha.” (Conrad Lorenz)

terça-feira, 7 de junho de 2011

Bochecha


Surpreendemos o Álvaro dando o seu passeio dominical na praça e não se recusou a participar do nosso blog com o seu amigo de quatro patas.


Bochecha é o seu nome.  Lhasa Apso sua raça.Tem dois anos e quatro meses e pesa uns três quilos e meio. É um cachorro calmo, carinhoso e muito ativo.Gosta de brincar de bola e é de propriedade do Bernardo, filho do Álvaro.


                                                                            Citação

"Será nosso amigo para sempre,... sempre,... sempre”(Rudyard  Kipling)